sexta-feira, 8 de maio de 2015

Falling...


E eu...
pensando que as estrelas
estavam caindo.

Mas não...
eram apenas minhas lágrimas...
caindo... caindo... caindo.

Caindo...
da imensidão profunda e infinita
que reside no olhar.

Dreamaker (Denis Correia)
03,08/05/2015-18:14

N.D.A.: Comecei à escrever este texto à cinco dias atrás. Escrevei as duas primeiras estrofes e depois não consegui escrever mais nada. Ele ficou estes dias guardado em um rascunho e hoje eu finalmente consegui concluí-lo. Conferi-lhe também um título e fiquei bastante satisfeito com o resultado. Ele fala de tristeza e de toda essa profundidade interior que trazemos dentro de nós.

Licença Creative Commons


E enquanto isso, no Recanto das Letras:

terça-feira, 5 de maio de 2015

Música & Letra # 01: Viajante (Ney Matogrosso)

A música está persente na minha vida desde a mais tenra infância. Ela começou com o meu pai, continuou com os amigos que fiz e felizmente continua com a minha namorada que acrescenta novas músicas e letras à minha vida. Decidi então, postar algumas dessas letras e músicas que fizeram e fazem parte da minha vida. Mas vou logo avisando: tenho 40 e tantos anos e muitos são os estilos musicais de que gosto. Não me prendo à rótulos, ritmos ou à modismos: se eu gostar da música, não tô nem aí para nada e nem para ninguém. Muitas destas músicas inspiram e inspiraram vários textos meus. Fornecerei junto às postagens informações sobre as músicas, letras, compositores e intérpretes. Começarei este primeiro Música & Letra com uma música que fiquei cantarolando hoje: Viajante. Essa música é de autoria de Teresa Tinoco e interpretada de maneira magistral por Ney Matogrosso.


Viajante – Ney Matogrosso (1989)
Composição: Teresa Tinoco

Eu me sinto tolo como um viajante
Pela tua casa, pássaro sem asa, rei da covardia
E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria
É que arde o medo onde o amor ardia
Mansidão no peito trazendo o respeito
Que eu queria tanto derrubar de vez
Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez
Mas o viajante é talvez covarde
Ou talvez seja tarde pra gritar que arde no maior ardor
A paixão contida, retraída e nua
Correndo na sala ao te ver deitada
Ao te ver calada, ao te ver cansada, ao te ver no ar
Talvez esperando desse viajante
Algo que ele espera também receber
E quebrar as cercas que insistimos tanto em nos defender
Eu me sinto tolo como um viajante
Pela tua casa, pássaro sem asa, rei da covardia
E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria
É que arde o medo onde o amor ardia
Mansidão no peito trazendo o respeito
Que eu queria tanto derrubar de vez
Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez

Viajante, foi uma música do LP "Ney Matogrosso ao vivo" de 1989 e regravada no CD duplo "Vinte e cinco" de 1997. Ney Matogrosso, nome artístico de Ney de Souza Pereira, nasceu em 01/8/1941 em Bela Vista MS. Por ser filho de militar morou em diversas cidades do Brasil. Em 1971 mudou-se para São Paulo e passou a integrar o grupo Secos e Molhados juntamente com João Ricardo e Gerson Conrad, adotando o nome artístico de Ney Matogrosso. Apresentaram-se em diversos shows pelo Brasil e gravaram dois LPs com muito sucesso. Com a dissolução do grupo em 1974 iniciou carreira solo. Em 1975 gravou seu primeiro LP solo "Ney Matogrosso". Atuou com Astor Piazzolla em Milão, tendo gravado um compacto duplo. Gravou trinta e um discos entre LPs e CDs. Artista muito versátil, gravou composições de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Cecéu, Cartola, Dorival Caymmi, Herivelto Martins, Villa-Lobos, Tom Jobim, Rita Lee, Ary Barroso, Lamartine Babo e muitos outros. Realizou centenas de shows pelo Brasil, Argentina, Uruguai, Europa e Israel. Recebeu vários prêmios Discos de Ouro e Discos de Platina e em 2006 recebeu o Prêmio Tim de Melhor Cantor, na categoria MPB.

Ney Matogrosso sempre foi um interprete versátil e polêmico. É sem dúvida um dos grandes interpretes da Música Popular Brasileira e na minha humilde opinião, tem músicas e canções lindíssimas e inesquecíveis em seu repertório (vide Rosa de Hiroshima dentre tantas outras).

Dreamaker (Denis Correia)
05/05/2015-20:40

E enquanto isso, no Recanto das Letras:






Estes são textos inéditos postados no Recanto das Letras.